Buscar
  • Ricardo Seoud

MÉTODO SUZUKI






O método Suzuki e a sua filosofia de ensino contêm vários aspectos que os tornam diferentes das tradicionais metodologias musicais. A princípio, Suzuki queria mostrar uma coisa muito simples:

Toda Criança tem Talento!





E essa afirmação pode ser comprovada por vários fatores:

Apesar de acreditarmos em genética ou no talento “herdado”, é o AMBIENTE que determina o sucesso ou fracasso de algo. Se uma criança japonesa conviver apenas com brasileiros, ela aprenderá português e terá hábitos do Brasil, mesmo tendo toda a sua herança genética vinda de outro país.

Suzuki observou que todas as crianças aprendem a sua língua nativa (ou língua materna), nos seus primeiros anos de vida e tudo isso porque ouvem e imitam seus pais e pessoas que estão ao seu redor. Nós, professores Suzuki, usamos esse processo, denominado por Suzuki de “Abordagem da Língua Materna”, para ensinar um instrumento musical.

Precisamos entender que para a construção de uma nova habilidade, temos que a dividir em pequenas partes, dando pequenos passos, sempre buscando ter um reforço positivo em cada tentativa, até atingirmos o sucesso.

“Não quero criar apenas bons músicos, mas antes, criar bons cidadãos”; é esse o maior objetivo do método Suzuki, fazer com que a criança se desenvolva como ser humano, cultivando habilidades sociais como caráter, respeito e disciplina, tudo através do ensino de um instrumento e da música.

A metodologia compreende ensinamentos bem simples, mas poderosos, em que o amor, o zelo, o carinho e a paciência, tanto do professor, quanto dos pais que acompanham todo o processo, se fazem presentes, afinal, esses são os sentimentos básicos que permeiam uma criança no momento em que ela está aprendendo a falar.

E então mais uma vez Suzuki mostra a genialidade de sua metodologia. Ele desenvolveu uma sequência lógica de peças musicais em que a parte técnica está disfarçada dentro das músicas. Assim, a criança tem desde o primeiro encontro, uma música (um objetivo) para preparar. E desde o início sente que todo o ensinamento passado pelo professor e reforçado em casa pelos pais serão úteis para tocar determinada peça musical.

O material didático Suzuki é composto, além do livro de repertório, de um Cd com as músicas que a criança aprenderá. Isso permite que a criança fique em contato direto com o som do seu instrumento, tendo referências auditivas de como será a sua evolução no instrumento. Assim o desejo de crescer musicalmente e aprender novas peças sempre será uma ótima motivação. As músicas deverão ser ouvidas diariamente, pois da mesma maneira que quando estamos aprendendo nosso idioma, o ouvimos o tempo todo, as gravações ajudarão a criança a desenvolver várias habilidades, como tirar as músicas de ouvido e ter referências de afinação e pulso rítmico.

O método Suzuki foi inicialmente desenvolvido para violino, mas com o passar dos anos o mesmo foi sendo adaptado para outros instrumentos. No momento o método Suzuki tem 13 instrumentos com reconhecimento da ISA (International Suzuki Association): Violino, Viola de Arco, Violoncelo, Contrabaixo, Flauta Transversal, Flauta Doce, Piano, Voz, Violão, Metais, Bandolim, órgão e harpa, além do SECE (Suzuki Early Childhood Education) que é o Método Suzuki como Educação musical que prepara crianças entre 0 e 3 anos para os instrumentos.

Para que toda a metodologia seja bem aplicada o professor Suzuki deverá ter capacitação e bastante treinamento para que possa abordar de maneira correta todas as técnicas e habilidades envolvidas em todo o processo. Essas técnicas são desenvolvidas pelo professor em cursos de capacitação que são ministrados por professores capacitadores (Teacher Trainer) registrados nas Associações de cada continente, no caso do Brasil, pela SAA (Suzuki Association of the Americas). Esses capacitadores são profissionais que já possuem uma longa carreira de sucesso em seus instrumentos, aplicando a filosofia e metodologia Suzuki durante vários anos. Alguns deles, aprenderam e observaram aulas do próprio Shinichi Suzuki!

Toda essa capacitação e busca por mais conhecimento de cada professor, tem apenas um objetivo: oferecer uma experiência de aprendizagem às crianças de uma maneira leve, consistente e com resultados fantásticos, fazendo com que elas se desenvolvam não só como músicos, mas como seres humanos.

O fato de incentivarmos as crianças a começarem sua educação musical o mais cedo possível, permite a criação de uma parceria com os PAIS, que passam a ser parte fundamental do que chamamos de Tríade Suzuki: pai/aluno/professor. Os pais têm, especialmente no início, uma das responsabilidades mais importantes em todo o processo: serem monitores (ou professores assistentes) na prática diária da criança. São eles que irão orientar, motivar e direcionar a criança em casa. Para isso não é necessário que os pais tenham nenhum conhecimento musical, precisam apenas prestar bastante atenção na aula para poderem entender todos os conceitos, exercícios e atividades propostas para que possam, com todo amor, carinho e atenção, auxiliar a criança em casa. Além disso, dentro da sala de aula, os pais estão sempre buscando, juntamente com o professor, criar um ambiente que seja favorável à aprendizagem, um local agradável, divertido e otimista para que a criança possa se sentir confiante e tenha motivação suficiente para fazer o seu melhor.

Temos que lembrar que são os pais que estão por perto quando uma criança está aprendendo a falar. São eles que se envolvem em todo o processo, que motivam, que elogiam e nunca se cansam de repetir uma palavra ou frase para ser repetida, treinando incansavelmente, até chegar à maneira correta.

Como já falado anteriormente, ao ouvir as gravações diariamente, os alunos vão desenvolvendo várias habilidades, entre elas a de tocar de ouvido. Essa talvez seja uma das grandes diferenças entre o método Suzuki e outras abordagens. Para Suzuki, ao tocar de ouvido, o aluno estaria “libertando” seus olhos para poder observar o instrumento, seus dedos, o arco e a respiração ao invés de, no início da sua aprendizagem, estar completamente absorto em uma partitura. Façamos um parêntese para um grande mito: o método Suzuki NÃO ensina apenas a tocar de ouvido, ele apenas deixa a leitura para um próximo momento, focando primeiro na maneira correta de usar o instrumento, entendendo as suas particularidades, desenvolvendo habilidades como ritmo, afinação, tonalização dentre várias outras. E o ensino da leitura só ocorrerá quando uma sequência de fatores (ou prioridades) atingirem níveis satisfatórios, e que não irão se desfazer quando a leitura da partitura estiver envolvida.

Além disso, por se tratar de um ensino individual, cada aluno aprenderá em seu próprio ritmo, sempre dividindo a aprendizagem técnica nos menores passos possíveis, e assim todo o conhecimento, se bem praticado, levará ao sucesso. Para que isso ocorra de maneira satisfatória, o professor Suzuki emprega nas suas aulas, o conceito de ensino por pontos (ou focos), onde toda habilidade deverá, além de ser dividida em pequenas etapas, ser trabalhada uma de cada vez. Isso quer dizer que durante o momento em que alguma parte está sendo focada, outras serão negligenciadas por alguns momentos, para que o aluno não se sinta com excesso de informações e instruções de partes distintas e acabe por não entender o que deverá fazer no seu estudo, ou também, não desmotive, por achar que existem muito mais coisas a serem melhoradas do que ótimos pontos já alcançados.

Além da aula individual, o método Suzuki também oferece uma aula coletiva que possibilita que as crianças toquem com outros alunos, compartilhando suas músicas, incentivando e tendo suas habilidades reforçadas, especialmente a habilidade de se tocar junto, onde as crianças são forçadas a experimentar o convívio em sociedade. Essas são algumas das experiências que uma aula individual muitas vezes não pode oferecer. As crianças que participam ativamente das aulas coletivas, recebem cargas de motivação muito grandes, pois estão sempre querendo dar o seu melhor, buscando aprender cada vez mais e assim praticando muito em casa, pois estão motivadas a tocar as próximas músicas, sem perder a qualidade das músicas e habilidades que já sabe. Até porque, uma criança, quando está aprendendo a falar, nunca esquece as primeiras palavras, apenas adicionam cada vez mais palavras, frases e significados ao seu vocabulário.


Após essa enorme quantidade de informações, podemos tentar resumir a metodologia Suzuki em alguns pontos:

- TODA CRIANÇA É CAPAZ e todas têm enorme potencial de se tornarem músicos ou o que elas se proponham a fazer;

- O AMBIENTE é mais poderoso que a carga genética para determinar o que será alcançado;

- O REFORÇO POSITIVO desenvolve o SUCESSO;

- O DESENVOLVIMENTO da criança como um todo é a parte mais importante, e não apenas a sua formação técnica no instrumento;

- AS PEÇAS utilizadas no Método Suzuki foram pensadas e projetadas para introduzir conceitos, habilidades e revisar técnica musical de uma maneira desafiadora e evolutiva;

- Quanto MAIS CEDO uma criança começar, mais longe conseguirá ir, e quanto mais cedo, mais importante é a presença dos pais nas etapas iniciais;

- O Método Suzuki é a “ABORDAGEM DA LÍNGUA MATERNA”, então todo o conhecimento inicial é passado através dos processos de escuta, imitação, revisão e reforço positivo (tanto na sala de aula quanto no ambiente familiar);

- Todas as HABILIDADES ensinadas são divididas em pequenas etapas. Quanto mais complexa é a habilidade, menores e mais numerosas são as etapas;

- As aulas INDIVIDUAIS são para que cada criança tenha seu contato direto com o professor, e assim tendo a sua velocidade de aprendizagem respeitada;

- As aulas COLETIVAS são para que as crianças criem o hábito de tocarem juntas, revisem trechos e conceitos estudados e praticados na aula individual além de todo o reforço positivo de estarem em um grupo com o objetivo de fazer música;


Shinichi Suzuki costumava dizer que não queria formar apenas bons músicos, queria formar primeiro, bons cidadãos. E aprender um instrumento pela metodologia Suzuki é uma forma de tentarmos desenvolver a criança, tanto musicalmente quanto socialmente. Esse é o nosso maior objetivo, tornar nossos alunos pessoas mais focadas, conscientes, atenciosas, disciplinadas, persistentes entre outras habilidades.

6 visualizações

₢ricardoseoud 2020 Todos os direitos reservados.